PT
Você não tem itens no seu carrinho de compras.

Frieiras: aprenda a prevenir!

Frieiras: aprenda a prevenir!

É provável que, nos dias frios, já tenha sentido as mãos a inchar e a aquecer… Muitas vezes incomodativas, as conhecidas frieiras podem afetar várias partes do corpo. A Farmácia Grave ajuda-o a identificar este problema para que atue desde o primeiro sintoma e saiba como preveni-lo!

 

O que são?
Resultam de uma inflamação dos vasos sanguíneos presentes na superfície da pele, como resposta a exposições climáticas extremas (ex.: frio e calor extremos). No entanto, as frieiras são mais comuns no inverno e em regiões com temperaturas mais baixas e húmidas.
O frio ao causar a contração dos vasos (vasoconstrição periférica), impede a circulação do sangue até às extremidades e, como consequência, a pele nestas zonas torna-se “mais fria”, ficando por vezes dormente.
Quando estas zonas são expostas ao calor extremo, dá-se uma vasodilatação muito rápida que resulta numa inflamação cutânea observada pelo aparecimento de edema (inchaço local).

 

Quais os sintomas?
As frieiras podem manifestar-se em qualquer idade, com graus de intensidade variáveis e de forma recorrente. Os sintomas característicos são:

• pele fria e vermelha
• pele dormente e dura
• alterações na cor da pele - pálida e, em alguns casos adquire uma tonalidade azulada
• bolhas
• inchaço (mãos muitos quentes)
• prurido (comichão) intenso
• dor
• fissuras (feridas abertas) – se não forem tratadas, podem desencadear infeções graves

 

Quais as zonas do corpo mais afetadas?
As frieiras atingem, tipicamente, as extremidades do corpo mais expostas ao frio e à humidade – dedos das mãos e pés. Podem ainda ocorrer noutras zonas, como nariz, orelhas, joelhos ou cotovelos, embora seja menos comum.

 

Quais os fatores que contribuem para o seu aparecimento?

• Clima frio, húmido e ventoso
• Contacto prolongado com água fria, gelo ou com produtos congelados (ex.: na realização de tarefas domésticas ou numa profissão específica)
• Mudanças bruscas de temperatura
• Tabaco e álcool (favorecem a vasoconstrição periférica)
• Patologias que dificultam a perceção da temperatura ou que interferem na resposta ao frio (ex. diabetes)
• Problemas circulatórios – afetam principalmente mulheres, idosos e crianças
• Antecedentes familiares
• Fatores hormonais – afetam sobretudo as mulheres, que apresentam uma pior circulação sanguínea nas extremidades e reagem pior a variações de temperatura. Isto deve-se a questões hormonais.


Atenção! Quem sofre de diabetes e de problemas circulatórios deve ter um cuidado redobrado…

 

Como prevenir?
Por norma, as frieiras são passageiras. Desaparecem ao fim de 2 a 3 semanas, sem deixar qualquer sequela. Contudo, pelo desconforto que possam causar, o ideal é prevenir o seu aparecimento. Siga as dicas da Farmácia Grave!

• Evite mudanças bruscas de temperatura e a exposição a outras agressões externas (contacto prolongado com água e detergentes).
• Mantenha as áreas afetadas secas e, na medida do possível, quentes. Caso arrefeça, aqueça-se de forma gradual, sem recorrer a fontes de calor diretas (ex.: aquecedor, lareira, água muito quente). Assim, evita a vasodilatação extrema e, por sua vez, o aparecimento de frieiras.
• Agasalhe-se com vestuário adequado (luvas, calçado apropriado, gorro, cachecol…) para proteger as zonas mais sensíveis.
• Hidrate bem a pele. Não se esqueça das mãos e dos lábios!
• Massaje a pele com movimentos suaves (sem esfregar nem coçar) para promover a circulação.
• Nas situações mais graves, coloque uma ligadura nas zonas afetadas, sem apertar muito. Assegure-se que a pele está limpa e seca para evitar infeções.
• Evite fumar e consumir alimentos com cafeína. A nicotina, existente no tabaco, e a cafeína contribuem para a vasoconstrição periférica, que está na origem das frieiras.
• Mantenha um estilo de vida saudável – beba muita água, privilegie uma alimentação equilibrada (evite os açúcares, que potenciam a inflamação) e pratique exercício físico para melhorar a circulação sanguínea.

 

Quando devo consultar o médico?
Consulte o médico nos seguintes casos:

• Os sintomas persistem ou se agravam (ex.: vermelhidão, dor intensa)
• Aparecimento de novos sintomas (ex.: febre)
• Suspeita de infeção (ex.: formação de bolhas, fissuras)
• Sentir dificuldades motoras na mobilidade

 

Como tratar?
Além dos cuidados gerais aconselhados pela Farmácia Grave, pode aplicar cremes à base de produtos naturais com propriedades anti-inflamatórias, estimulantes da circulação sanguínea, regeneradoras, calmantes e/ou cicatrizantes.
Como exemplo destas substâncias, destaca-se:

• Ginko Biloba: estimula a microcirculação
• Aloé Vera: hidratante, anti-inflamatória, regeneradora e cicatrizante
• Calêndula: refrescante (reduz o inchaço), anti-inflamatória, cicatrizante e calmante

 

Atenção! Não use cremes com cortisona. Apesar de terem, inicialmente, um efeito vasodilatador, mais tarde provocam vasoconstrição secundária, o que agrava ainda mais a circulação sanguínea (principal causa das frieiras).


Nos casos mais graves, por indicação médica, recorre-se a fármacos com ação vasodilatadora.

 

Dra. Rita Mestre
Farmacêutica

 

Deixe seu comentário